Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lazy Lover Undercover

Lazy Lover Undercover

Aquele dilema

No meu dia-a-dia, debatia-me constantemente com o seguinte dilema: "a vida é demasiado curta, por isso, vou fazer tudo o que quero, porque se calhar de morrer amanhã, já morro feliz" e "a vida é para ser vivida, mas cada coisa a seu tempo, há momentos para tudo".

 

Verdade seja dita, quando decidia seguir a primeira, dava sempre asneira. As asneira já foram tantas, que acho que finalmente aprendi a minha lição. Prova disso é o facto de ter escolhido ficar sozinha, mesmo tendo oportunidade de estar com quem gosto. É um pouco confuso, admito. Mas é uma questão de amor próprio, de honra e dignidade. Se me regesse pelo primeiro lema, atirar-me-ia de cabeça, não querendo saber se ele estava comigo por estar, desde que eu pudesse estar com ele. Mas como finalmente aprendi que se o fizesse iria correr mal única e exclusivamente para o meu lado, preferi ficar sozinha e bem, sem chatices desnecessárias, sem dramas. Não consigo estar com alguém por estar. Ao estar com alguém, quer queira quer não, algum tipo de sentimento vai ser desenvolvido, mas para arriscar, é porque sei, ou pelo menos espero, que vá ser correspondido. 

 

Há decisões que parecem tão simples de tomar, mas na verdade não são. É preciso parar para pensar. Reflectir sobre tudo o que for preciso. E tomar aquela que não só nos faz feliz no momento, como teremos a certeza que se a tomarmos jamais nos arrependeremos, porque se correr mal, as consequências não serão assim tão más como se tivessemos optado pela outra decisão. Porque na vida, há dois tipos de escolhas, as boas e as más. É preciso é saber tomá-las.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.