Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lazy Lover Undercover

Lazy Lover Undercover

Viajando por Praga e Berlim

pragaberlim.jpg

 

Viajei para Praga e para Berlim durante uma semana. Em Praga fiquei 5 dias e em Berlim 3. Adorei ambas as cidades, muito diferentes entre si, mas muito bonitas. Em Praga visitei/vi o castelo, a John Lennon's Wall, a Charles Bridge, o relógio astronómico, a catedral de Praga, o teatro nacional e, ainda, andei de barco pelo rio Danúbio. 

 

pragaa.jpg

 

Já em Berlim, adorei tudo e só tive pena não ficar lá mais tempo. Só conseguimos aproveitar bem um dia e meio. Visitamos tudo o que foi possível: o estádio olímpico, a porta de Brandemburgo, o museu da tortura, diversas partes do muro de Berlim, o Checkpoint Charlie, a torre da televisão, a catedral de Berlim, a camara municipal de Berlim, o monumento aos judeus e diversos museus. No dia da partida, ainda alugamos umas bicicletas e andamos pela cidade. Incrível a organização das ciclovias, eu que já não andava de bicicleta, fora de brincadeira há mais de dez anos, entendi-me na perfeição com a bicicleta e a cidade. Quero muito voltar a Berlim.

 

berlim.jpg

 

Apesar de ter adorado ambas as cidades, odiei as pessoas de Praga. Nunca fui tão maltratada na vida como lá. Os checos pouco se importam se te estão a tratar bem ou mal e de como te fazem sentir. São rudes, antipáticos e toda a excepção é bem vinda. É uma mentalidade e uma cultura completamente diferente da de Portugal. Pessoas rudes há em todo o lado, mas nunca me cruzei com tantas num espaço de tempo tão curto. Se ia a um restaurante comer, mandavam-nos calar por estarmos a fazer muito barulho. Num grupo de 30 pessoas o silêncio durante uma refeição é impossível. Na hora de pagar um jantar, que já não era barato, obrigavam-nos a dar 10% de gorjeta e se nos recusássemos a dar, começavam a tratar-nos mal e diziam-nos para não voltarmos lá no dia seguinte. Riam-se de nós e, mesmo sabendo que não percebíamos nada de checo, insistiam em falar em checo. Era rara a pessoa que percebia o mínimo de inglês. Uma cidade que vive tanto do turismo, dar-se ao luxo de tratar mal os turistas, faz-me um bocado confusão. É certo que não precisam de tratar bem, pois a história e os monumentos são tão bonitos e interessantes, que há quem não se importe de aturar um pouco de rudeza. Mas caramba. É claro que não são assim à toa, tudo isto tem a ver com a sua história. A República Checa só passou a ser independente da Eslováquia em 1993, até lá, estiveram sob ocupação alemã e mais tarde sob domínio soviético. Apesar de tudo, espero um dia lá voltar e desta vez já vou preparada.