Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lazy Lover Undercover

Lazy Lover Undercover

Mirandela: experiências

Fui a Mirandela passar uns dias com uma amiga. Já tinha sido convidada há bastante tempo, mas só me decidi a ir no dia anterior. E ainda bem que fui. Estar 5 dias afastada de casa, numa cidade diferente, com muitas outras pessoas da minha idade e não só, mas a maior parte delas estudantes, só me faz ter ainda mais vontade de sair de casa. Eu bem queria ter ido estudar para fora, mas não tive oportunidade. Devia ter batido o pé, afinal de contas não sou nada como os meus irmãos, este ano acabo a licenciatura. Tenho vindo a considerar a hipótese de fazer mestrado fora, mas sei que a universidade que frequento tem um óptimo mestrado que gostava de seguir. Não posso decidir nada de cabeça quente, nem estar a contar viver um conto de fadas, caso vá para fora. A responsabilidade, naturalmente, iria ser maior, mas também me iria fazer crescer. Acho que estou a precisar.

 

Continuando com Mirandela, nada correu como planeado, acho que foi por isso que gostei tanto. Não fiquei onde era suposto ter ficado, não me dei com quem me esperava dar, e conheci quem nunca esperei conhecer. 

 

Estava a contar visitar a cidade mal chegasse, em vez disso assisti a uma discussão na agência onde a minha amiga e a colega tinham alugado casa (visto que elas estudam lá), que resultou na expulsão delas da dita cuja. Deram-lhes até à meia noite do mesmo dia para tirarem tudo de lá e entregarem a chave. Lá se foi a minha visita à cidade, em vez disso, estivemos quase 5 horas a empacotar tudo, desde loiça, roupa e livros, a sinais de trânsito roubados (enfim), e a limpar.

 

Entre muitos favores pedidos lá conseguiram quem lhes guardasse a tralha toda até Setembro e sitio para nós as duas ficarmos.

 

Não vi muito da cidade de dia, mas vi das festas, dos desfiles, das pessoas, do fogo de artifício. Ouvi muitas histórias, sobre muita gente e acho que também foi criada uma sobre mim.

 

 

 

 

 

(as fotografias são minhas)

Dueto impossível possível

O meu dueto preferido é sem dúvida o da Katie Melua com a Eva Cassidy e é também muito especial, porque foi feito através de gravações antigas, uma vez que a Eva Cassidy faleceu em 1996. A música foi escrita por Bob Thiele e George David Weiss e gravada originalmente por Louis Armstrong e é mais conhecida "c'ós tremoços", What a Wonderful World.


 

Inspira-me

Se já senti necessidade de apagar algum post que tenha escrito há já algum tempo? SIM, mais que um...

 

E agora que penso nisso, nunca os deveria ter sequer escrito. Fiquei a sentir-me uma pior pessoa depois de os ter escrito. São posts que só reflectem a minha imaturidade e a minha falta de... Sei lá bem... 


Posts sobre o meu ex-namorado sobretudo. Ás vezes releio-os e lembro-me das coisas boas que tinhamos, do mau por que passamos, e os pensamentos estúpidos que às vezes tinha relativamente a ele e ao nosso relacionamento. Porque, como já dei a entender diversas vezes, não acredito que o nosso fim o tenha sido realmente, ainda que o tenha vindo, cada vez mais, a aceitar como certo. Para quê correr atrás de uma pessoa que nem sequer dá um passo por mim? Custa aceitar, mas é a realidade.

 

Mas, apesar de todos os dias ter vontade de os apagar, não os apagarei. Porque a piada de ter este blog é que posso ser espontânea e escrever o que bem me apetecer, e se começar a controlá-lo, e a apagar coisas que em tempos me pareceram bem escrever, perde todo o seu propósito.


PS: Depois também há aqueles posts sobre cadeiras da universidade que pronto, não fazem cá falta nenhuma e que nem vontade tenho de voltar a olhar para eles depois de os postar, mas lá está, para quê apagar se na altura me pareceu bem escrevê-los?



Inspira-me - Quantos livros planeio ler em 2013

Quantos livros planeio ler em 2013? Humm... Antes de mais, planeio acabar de ler os três livros que deixei a meio no verão passado...

 

'Pera lá, três? Acho que eram quatro. É que isto de ler, enquanto estudo não é para mim, por isso reservo o meu verão para a leitura, mas às vezes não chega, para ler tudo...




O melhor e o pior de 2012

O MELHOR: apesar de tudo o que já foi dito, foi sem dúvida o T. ter entrado na minha vida.


O PIOR: foi a minha entrada na universidade. Sim, entrei na minha primeira opção, mas isso não quer dizer nada. Isto é horrivel, se pudesse desistia disto tudo agora mesmo. Mas eu não sou de desistir, por isso, nada feito. Tenho apenas que fazer algo, que me ajude a suportar a universidade um pouco melhor.

Albuns que marcaram o meu ano

 
O albúm dos Oasis, (What's the storty?) Morning Glory (1995), apesar de já ter uns aninhos, foi dos albúns que mais presente esteve na minha vida este ano. É do caraças!

Oasis - (What's the story?) Morning Glory

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O albúm do John Mayer, Born and Raised, foi o albúm pelo qual mais tempo esperei. Não era bem aquilo que eu esperava, muito pelo contrário, mas John Mayer é John mayer, por isso é bom na mesma. E apesar de no início não ter achado grande piada às músicas, neste momento adoro-as, porque a essência que eu achei que ele tinha perdido, na verdade não foi perdida, foi apenas transformada.
 
 John Mayer - Born and Raised
 

2011 em seis palavras

  1. Stress  (a nível escolar, devido à mudança de área);
  2. Experiências (fui a festivais de verão pela primeira vez); 
  3. Concretização (consegui mudar de área);        
  4. Dificuldades (em relação à escola, ás amizades e à vida familiar);
  5. Agrídoce (tive muitas tristezas, mas também muitas alegrias);
  6. Descoberta (graças a tudo o que enumerei, descobri coisas sobre mim que desconhecia) ;