Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Lazy Lover Undercover

Lazy Lover Undercover

Excessos de queima

 

Nunca fiz tanto disparate numa semana só. Posso ir pelo lado fácil e acusar o álcool, pelo meu descontrolo. Os erros existem para serem cometidos, mas nunca pensei cometer os que cometi. Por não terem nada a ver comigo, por serem condenados por mim, no meu estado normal. Mas não devo nada a ninguém. Sou uma mulher livre e jovem e não tenho de justificar o que faço. Que pensem o que quiserem. Antes agora do que quando for mais velha, se há idade para cometer erros é esta. Não me censuro, não tenho porque o fazer. Acabei por aprender muito sobre mim, parece que afinal não me conheço.

Equívoco

 

Por que é que todos os homens de 28/29 anos com quem me tenho cruzado ultimamente parecem ter 23/24 anos no máximo? Começo a tratá-los por tu, a achar que as nossas idades até são próximas, apesar de eu também aparentar ter 16 anos, e vai-se a ver e têm quase mais dez anos do que eu. Não que seja normal tratar trintões ou quase trintões por você, mas também não me sinto bem a tratá-los como se tivessem andado comigo na escola... É esquisito porra.

7x7 - Desafio

 

 

A Nathy desafiou-me, há mais de uma semana, a responder a estas questões. Vi-me à rasca para o fazer, empanquei tantaaaaas vezes, mas finalmente consegui acabar! 

 

Por muito parvo que possa parecer, acho que aprendi mais sobre mim, ou pelo menos tomei mais consciência sobre mim, depois de responder a este desafio.

 

ps: por algum motivo, que me ultrapassa, alguns dos titulos não ficam a negrito depois de publicados.

 

7 Coisas a Fazer Antes de Morrer

- Acabar o curso;

- Trabalhar na área;

- Tirar a carta;

- Ir à Nova Zelândia e à Irlanda;

- Ter filhos;

- Arranjar uma banda e 'quiça' lançar um albúm;

- Fazer paraquedismo;

 

7 Coisas Que Mais Digo

- Oh que caralh*;

- C'est la vie;

- E era!

- Já "fostes";

- Deus me livre!

- Je ne sais pas;

- Não sei (versão tuga da de cima);

 

7 Coisas que faço bem

- Cantar;

- Decorar coisas;

- Dormir;

- Saltear cogumelos;

- Jogar matrecos;

- Directas;

- Mudar(-me) quando alguma coisa me incomoda;

 

7 Coisas Que Não Faço Bem

- Tarefas domésticas, qualquer uma delas;

- Falar em público;

- Acordar cedo;

- Chegar cedo a qualquer lado;

- Nadar;

- Andar de bicicleta;

- Aguentar sem roer as unhas durante uma semana;

 

7 Coisas Que Me Encantam

- Bébes a rir;

- Genuinidade;

- Casais de velhinhos;

- Música;

- Público a cantar em uníssono nos concertos;

- Humor inteligente;

- Poder contar com alguém;

 

7 Coisas Que Eu Amo

- Os meus pais e os meus irmãos;

- Música;

- Beijos na testa;

- Acampar;

- O quentinho;

- O meu gato;

- Os meus amigos;

 

7 Coisas Que Eu Não Gosto

- Acordar cedo;

- Caramelo e baunilha;

- Pés;

- Pessoas que, num brainstorming/tomada de decisões, falam, falam, falam e não acrescentam nada de novo ao que já foi dito;

- Sinos;

- Excessos de confiança;

- Que me toquem, seja um puxão no braço, uma festinha na cara, detesto;

 

7 Blogs Que Eu Indico

Vida de uma estudante universitária;

So_risoincognito;

Menina dos abraços;

Uma gaja light;

Uma vida igual a outras;

O álcool é o melhor remédio;

Nocas;

Ser mulher, em minha casa

 

Ser mulher, em minha casa, é não puder chegar tarde a casa, porque, como me diz o meu pai "tu não és nenhum rapaz!". É ficar a arrumar a cozinha, antes e a seguir ao jantar, enquanto os homens vêm televisão e estão na sua boa vida. É não poder ficar com um baralho de cartas, porque, segundo o meu pai "tu és rapariga e as raparigas não jogam às cartas!" É levar com expressões sarcásticas dos irmãos como "faz-te homem". É não poder dizer palavrões ou soltar um arroto, porque "fica mal a uma menina". É não poder estar num dia mau, que estou logo com o período.

É ter de lidar com a incompreensão de uma familia dominada por homens, que não percebem, que as mulheres têm necessidades diferentes das deles.

Em pleno século XXI, ser mulher, em minha casa, é isto.

Lisboa ou Porto?

lisboaouporto.jpg

 

 

Ando na fase de escolher um mestrado. Na verdade, já estou nesta fase desde o verão, mas com o fim da licenciatura a aproximar-se, esta procura está a tornar-se incessante. Encontrei dois interessantes, um no Porto, na ESMAE, e outro em Lisboa, na ESCS, são ambas escolas pertencentes a politécnicos e têm ambas estágio, que era o requisito que mais me interessava.

 

Quero mais independência, mas sou uma pessoa com dificuldade em adaptar-se. Fico bem sozinha, mas quanto mais longe estiver, mais perdida me vou sentir. O Porto é mais perto, sempre que precisar de vir a casa é só meter-me no comboio, já Lisboa é bastante longe e não terei essa facilidade. Falei com uma colega que também está com ideia de ir para a ESMAE, era óptimo ir com alguém conhecido, mas ainda não é certo...

 

Alguém me dá uma ajuda?

O início do fim

 

 

Começou ontem, oficialmente, o último semestre do curso. Parecia tão distante. Mas cá estamos e estes últimos meses vão passar num instante. Engraçado olhar para trás e comparar o passado com o presente, o terrivel primeiro ano e meio de curso com o último meio ano. O que mudou de um para o outro? O curso tornou-se mais interessante, pude finalmente seguir a área em que me queria especializar, afastei-me dos interesseiros e fiz amigos, poucos, mas mesmo amigos. Para além disso entrei num grupo cultural académico e num projecto que os alunos do curso têm vindo a desenvolver há uns anos. Concluindo, não saí da bolha, mas abria-a e deixei entrar ar. Continuo na minha, a ser marrona, a sentar-me sempre à frente nas aulas, mas ando mais alegre e todas estas mudanças contribuiram para isso. Entrar no tal grupo cultural foi o melhor que podia ter feito é muito motivador. Conheci pessoas, todas muito diferntes entre si, mas com o amor pela música em comum e, não sei explicar, mas parece que me abre a mente e me dá mais força, mais paciência e mais motivação para estudar e isso reflectiu-se imenso nas notas no final deste semestre.

Para o futuro, veremos. Dependendo de como correr este semestre, logo faço as minhas escolhas.

 

28 anos de casados

Os meus pais fizeram este domingo 28 de casados. Para tristeza da mãe, o meu pai nem se lembrou. Foi passear sozinho e não a deixou ir com ele. Voltou muito contente com as relíquias literárias que tinha conseguido arranjar, e a continuar sem se lembrar.

 

Entretanto a minha mãe contava-me como tinha sido triste o dia de casamento até à hora de casar.

 

Estar casado não é para qualquer um. É preciso gostar mesmo muito para se ultrapassar estas falhas, que para um podem ser pequenas, mas para o outro são dolorosas. Mas é isto o amor? É só haver esforço da parte de um? Acho que o meu pai não tem consciência da mulher que tem ao seu lado. Ela põe sempre a felicidade e necessidades do outros acima das suas e é incrível como ele nunca reconhece o seu valor. 

Gente sem consciência

Num espaço de dois dias, soube de duas histórias parecidas e ambas profundamente tristes. A semana passada, uma amiga de um dos meus irmãos teve um acidente e o condutor causador do acidente fugiu depois do embate. O carro dela ficou desfeito, ela felizmente, safou-se com um braço partido e algumas mazelas. Há dois dias atrás, um amigo do meu outro irmão foi atropelado a caminho de casa. Qual é a semelhança entre as duas histórias? Também a pessoa que o atropelou fugiu. Ficou irreconhecível, sabe deus quanto tempo passou até alguém o ter visto e chamado a ambulância, coisa que nem isso quem o atropelou fez. Está às portas da morte, um rapaz com vinte e poucos anos. 

 

Sorrir à vida

Numa das minhas aventuranças este verão, fiz um Amigo. Alguém que com meia dúzia de palavras me fez pensar diferente. Me deu vontade de ser e querer mais. Me fez adoptar outra postura perante a vida. Ele traz ao de cima o que de melhor há em mim. Dá-me esperança. E dá-me certeza de que este mundo está cheio de coisas maravilhosas que a qualquer momento podem ser descobertas. 

 

Longe de mim pensar  que uma mudança de ares, de lugar, me iria fazer tropeçar nele. E o melhor de tudo? Apesar de ser o verdadeiro arquétipo da perfeição, não o vejo de todo de uma perspectiva amorosa. É um Amigo, sim, com "A" grande. Um grande amigo. Um timido incurável, que se faz de forte, sendo o mais frágil, que simplica a vida, quando tudo parece complicar-se. E confio nele em toda a sua plenitude.

 

Apesar da diferença de idades ainda ser significativa, traz imensas vantagens. Percebe o que passo, porque também já o viveu. ´Vejo-o como um grande exemplo, no que toca à ambição, determinação e força de vontade, que o levaram a conquistar o sucesso profissional que tem hoje. Lê-me melhor do que ninguém, sem eu ter de recear a transparência. E dá-me força, tanta força, para enfrentar os obstáculos que sou obrigada a enfrentar no dia a dia. 

 

Um Amigo assim, faz-me sorrir à vida.

 

Fui desafiada :)

A Nathy (Desabafos da Nathy) e a Catarina (Confessions of a Silly Girl) desafiaram-me a responder a estas 11 perguntinhas.

 

Obrigada :)

1- O que tu não sais de casa sem?

Não saio de casa sem o meu cartão de crédito, porque serve também como passe de autocarro e o cartão de identificação da universidade. Também não devia sair de casa sem os óculos, mas já aconteceu, e é horrível porque vejo mesmo muito mal ao longe e nas aulas, sem eles, só vejo nuvens. 

 

2- Qual é o teu animal favorito ?
Adoro chimpanzés e cães e tenho um especial amor por rafeirinhos.

 

3- Qual é o teu tipo de sapato favorito?
Sapatilhas, sem tirar nem pôr.

 

4- Produto de maquilhagem indispensável?
Confesso que a base ás vezes dá jeito.

 

5- Qual o teu maior sonho?

É algo relacionado com música :)

 

6- Qual o teu maior defeito? 
O maior mesmo não sei, mas tenho-os em abundância: mau-feitio, anti-social, teimosia, desconfiança, questionar tudo, etc e tal.

 

7- O que te irrita nas pessoas?
Irritam-me solenemente pessoas incoerentes e pessoas egocêntricas.

 

8- Qual a tua comida favorita?
Não sei se tenho assim uma comida predilecta, tenho uma que detesto: francesinhas.

 

9- Doce ou salgado?
Depende, nunca recuso um chocolatinho, mas também não digo que não a uns fritos da matutano. :)

 

10- O que te deixa feliz?
Conversar horas a fio com alguém que tem tudo a ver comigo, porque o assunto nunca acaba.

 

 

11- Escolhe 5 blogs para fazer este desafio :)

 

* Bata e Batom

* Devaneios de uma princesa
* Cutchi
* Uma Gaja Light
* Goma Cheia